Aveia: quais as propriedades e benefícios deste alimento?

A aveia é conhecida por ser fonte de nutrientes importantes para o nosso organismo funcionar apropriadamente como manganês, fósforo, cobre, ferro, selênio, magnésio, zinco e vitamina B1.

O alimento já foi associado a benefícios para a saúde do coração, para a saúde digestiva e para a saciedade do corpo, além de ter sido apontado como fonte de antioxidantes e capaz de contribuir com a diminuição da prisão de ventre.

A aveia pura não tem glúten, entretanto, chamamos a atenção para o risco de algumas marcas de aveia conterem o glúten por conta da chamada contaminação cruzada.

A maioria dos agricultores e processadores de alimentos que cultivam e lidam com a aveia também lidam com grãos com glúten como trigo, cevada e centeio. Usar o mesmo equipamento para a aveia e os grãos com glúten significa que uma pequena quantidade de glúten acaba “contaminando” sua aveia.

De acordo com informações da mestra em nutrição humana Adda Bjarnadottir, em seu artigo publicado, 66% do peso da aveia crua corresponde aos carboidratos.

Desses carboidratos da aveia, 85% correspondem ao amido, enquanto 11% são fibras, completou Bjarnadottir. Conforme outro artigo, tanto as fibras quanto o amido entram na categoria dos carboidratos complexos.

Em seu artigo, a mestra em nutrição humana também disse que o amido é o maior componente da aveia e é constituído por longas moléculas de glicose. “O amido da aveia é diferente do amido em outros grãos. Ele tem um teor de gorduras mais alto e uma viscosidade maior (habilidade de se ligar à água)”, detalhou Bjarnadottir.

Falando nas fibras, a maioria das fibras presentes na composição da aveia são solúveis, ainda que o alimento também possua fibras insolúveis. Conforme a mestra em nutrição humana, uma fibra que se destaca na aveia é a chamada beta glucana.

“As beta glucanas são únicas entre as fibras, já que elas podem formar um solução viscosa (parecida com um gel), em uma concentração relativamente baixa”, explicou Bjarnadottir

De acordo com ela, na aveia crua e integral, o teor de beta glucanas varia entre 2,3% a 8,5%, sendo que a maioria está presente no farelo do alimento.

“As beta glucanas são conhecidas por diminuir os níveis de colesterol e aumentar a excreção dos ácidos da bile. Também acredita-se que elas causam uma diminuição nos níveis de açúcar no sangue e nas taxas de insulina depois de uma refeição rica em carboidratos. O consumo diário de beta glucanas mostrou diminuir o colesterol, principalmente o LDL (o colesterol ruim) e, portanto, pode reduzir os riscos de doença no coração”.

Já vimos se a aveia tem glúten e conhecemos o teor de carboidratos e fibras que diferentes tipos e porções que o alimento pode apresentar. Mas e quanto à presença de proteínas na composição das fibras?

Bem, a aveia conta sim com proteínas em sua composição. Tanto que em artigo publicado, a mestra ciência alimentar e nutrição humana, Melodie Anne, afirmou que adicionar uma porção de aveia à dieta diária é uma forma de consumir um pouco mais de proteínas.

“Geralmente, quanto mais processadas forem as aveias, menos proteínas elas terão” destacou a mestra em ciência alimentar e nutrição humana.

 

Fonte:  https://www.mundoboaforma.com.br/aveia-tem-gluten-muito-carboidrato/#mUiABLS8l3DkBxBv.99

O poder do ovo no café da manhã

O alimento funciona ainda como fonte de diversos nutrientes importantes para o funcionamento do nosso organismo como vitamina A, vitamina B2, vitamina B6, vitamina B12, vitamina D, vitamina E, vitamina K, selênio, zinco, ferro e cobre.

Os ovos constituem também uma fonte de proteína completa e de alta qualidade por possuir os oito aminoácidos essenciais que o corpo não pode sintetizar e precisa obter por meio da dieta.

A mestra em nutrição humana Adda Bjarnadottir apresentou o ovo como um alimento dono de propriedades únicas que o tornam amigável ao processo de diminuição do peso. Bjarnadottir explicou que uma das vantagens dos ovos para o emagrecimento é que eles saciam, principalmente graças ao alto teor de proteínas que é encontrado na composição do alimento.

“Alimentos ricos em proteínas são conhecidos por reduzir o apetite e aumentar a saciedade, comparados a alimentos que contêm menos proteínas. Estudos têm mostrado repetidamente que refeições com ovo aumentam a saciedade e reduzem a ingestão de alimentos durante as refeições posteriores, comparando com outras refeições com o mesmo teor de calorias”, afirmou a mestra em nutrição humana.

Ela afirmou ainda que os ovos têm uma colocação alta no índice de saciedade, uma escala que avalia a eficiência dos alimentos para manter o corpo saciado e diminuir a ingestão de calorias mais tarde.

Ou seja, se auxilia em relação à saciedade, comer o ovo no café da manhã emagrece mesmo, pois ajuda a segurar o apetite até a próxima refeição – o almoço – e a não cair na tentação de beliscar guloseimas no intervalo entre uma refeição e outra, o que contribui com a perda de peso.

A mestra em nutrição humana mencionou outro estudo publicado no ano de 2010, similar ao de cima, porém realizado com homens por um pesquisador dos Estados Unidos e seus colegas, que também mostrou que um café da manhã com ovo diminuiu a ingestão de calorias pelas próximas 24 horas, em comparação com o que fez um café da manhã com bagel, além de ter provocado maior saciedade.

Bjarnadottir citou ainda uma pesquisa, feita por um cientista do Reino Unido ao lado de seus colegas, que comparou os efeitos de três tipos de café da manhã – ovos na torrada, cereal com leite mais torrada e croissant com suco de laranja – em 30 homens jovens, saudáveis e em forma.

“A refeição com ovo causou significativamente uma maior saciedade, menos fome e um desejo mais baixo de comer do que os outros dois cafés da manhã”, completou a mestra em nutrição humana.

Fonte: www.mundoboaforma.com.br/ovo-no-cafe-da-manha-emagrece