Como escolher um chocolate mais saudável?

Dois chocolates com igual porcentagem de cacau podem não ter a mesma concentração de bons nutrientes. Depende dos ingredientes de cada tablete. Tem chocolate amargo com apenas cacau e açúcar (2 ingredientes), tem outros com cacau, açúcar e manteiga de cacau (ou seja, 3 ingredientes) e tem outros com mais de 4. E isso afeta a quantidade de nutrientes, e consequentemente o quanto saudável é o produto.

O cacau é um fruto, que contém grãos (ou amêndoas) no seu interior. Estes grãos são fermentados, secos e torrados, e depois são quebrados para a retirada da casca. O que sobra é o miolo no grão, que é sólido e é chamado de nib de cacau. É com ele que se faz o chocolate. Os nibs de cacau são ricos em minerais, vitaminas e flavonóides, um antioxidante que ajuda na prevenção de doenças e do envelhecimento. Por isso o cacau é considerado um super alimento (ou super-food). No entanto, os nibs também são ricos em gordura, a manteiga de cacau.

Em média, 50% da composição dos nibs é manteiga de cacau, uma gordura saturada. Esta porcentagem pode variar para mais ou para menos, dependendo da origem e da safra do fruto, mas, pelo que li em vários artigos e livros, esse é um número realista. A manteiga de cacau é responsável pelo derretimento gostoso do chocolate e por espalhar o sabor na boca. Isso porque ela é a única gordura que se liquefaz a uma temperatura próxima da do corpo humano. Então ela tem o lado bom de deixar o chocolate macio, mas tem o lado ruim de ser uma gordura, o que implica em muitas calorias.

Nibs de cacau = manteiga de cacau + torta de cacau (ou “cacau em pó”)

Vamos aos números!

Pense em um chocolate feito só com “cacau e açúcar”, por exemplo na proporção de 70% para 30% respectivamente. A gente nunca sabe a verdadeira concentração de manteiga num cacau (nem os fabricantes sabem, pois varia com a safra, a origem do fruto, etc), mas vamos usar a média normal de 50% de gordura. Dos 70% de cacau, metade é gordura. Esse chocolate vai ter 35% de manteiga,  35% de  “cacau em pó” e  30% de açúcar. Ou seja, 35% de material realmente nutritivo, rico em substâncias importantes para o corpo humano.

Como escolher o mais saudável?

Desculpe o balde de água fria. A verdade é dura: se você quer comer só comida saudável ou de baixas calorias, adeus chocolate gostoso. Cacau em pó é super saudável, mas definitivamente não é chocolate. Boa sorte com espinafre, quinoa e companhia.

Se você não for muito radical, dá para incluir sem problemas o chocolate na sua alimentação. Afinal de contas, que graça tem uma vida sem um docinho gostoso de vez em quando ? É só ficar atento às informações da embalagem da marca de sua confiança e consumir com moderação.

Os chocolates mais saudáveis têm:

  • poucos ingredientes (ideal são apenas 2);
  • maior teor de cacau (portanto os amargos, acima de 70%);
  • maior teor de massa de cacau (cacau ou massa de cacau deve ser o primeiro na lista de ingredientes)
  • menor teor de gordura e que seja só proveniente da manteiga de cacau;
  • nada de ingredientes artificiais.

Isso quer dizer que você vai parar de comer outros chocolates? Não. Nem sempre o que importa são os ingredientes. Mas agora você tem mais informações para escolher o que e quanto consumir de chocolates, sem estragar sua rotina alimentar, seja ela qual for.

Fonte: https://chocolatrasonline.com.br/como-escolher-o-chocolate-mais-saudavel/

Iogurte: saiba mais sobre este alimento delicioso!

Não é uma delícia saborear um iogurte no café da manhã ou nos lanchinhos que fazemos quando a fome bate nos intervalos entre as refeições? Mas enquanto você aprecia o seu iogurte acompanhado de aveia, granola ou frutas, já parou para pensar a respeito da composição do alimento? Se você não restringe nenhum nutriente na sua dieta, pode ser que nunca tenha pensado se o iogurte tem carboidrato, glúten ou lactose.

Mas será que o iogurte pode ser consumido livremente pelas pessoas que aderem a uma dieta low carb, por exemplo, ou uma dieta sem glúten ou lactose?

O iogurte tem carboidrato?

Você provavelmente já sabe que os carboidratos constituem uma das principais fontes de energia para o nosso organismo. Entretanto, o nutriente é evitado ou restringido nas refeições das pessoas que seguem a chamada dieta low carb, que pode ser aderida por questões de saúde ou como uma estratégia para estimular a diminuição do peso corporal.

Para todas essas pessoas, vale a pena saber se o iogurte tem carboidrato e a quantidade em gramas do nutriente que pode ser encontrada em diferentes tipos, porções e variações do produto antes de inseri-lo nas refeições, não é mesmo?

De acordo com o PhD em nutrição Atil Arnarson, podemos sim encontrar os carboidratos na composição do iogurte.

Arnarson explicou que os carboidratos do produto costumam aparecer na forma do açúcar natural do leite e do açúcar adicionado que muitas marcas adicionam em seus iogurtes.

Será que o iogurte tem lactose?

Como já vimos acima, parte dos carboidratos do iogurte aparece na forma do açúcar natural do leite. Pois bem, esse açúcar natural do leite é justamente a lactose.

O conteúdo de lactose do iogurte é mais baixo do que o do leite. Isso porque a fermentação bacteriana no iogurte resulta na decomposição da lactose. Quando a lactose é decomposta, ela forma a galactose e a glicose. Entretanto, é possível encontrar versões sem lactose de iogurte de diversas marcas disponíveis no mercado.

E será que o iogurte tem glúten?

Já vimos se o iogurte tem carboidrato e se ele possui lactose em sua composição. Mas será que também encontramos o glúten no produto?

Conhecer essa informação é importante para quem tem problemas de saúde que impedem a ingestão da substância e para aquelas pessoas que decidiram eliminar o glúten da sua alimentação.

Então, vamos lá: na sua forma pura, o iogurte é livre de glúten.

“Entretanto, os aromatizantes e adoçantes usados nos iogurtes disponíveis comercialmente nem sempre são livres de glúten. Além disso, mesmo o iogurte natural que você compra em lojas pode estar sujeito à contaminação cruzada por glúten, que o torna perigoso para aqueles que têm doença celíaca ou a sensibilidade ao glúten não-celíaca”, afirmou a médica Jane Anderson.

Essa contaminação cruzada por glúten pode ocorrer quando um produto naturalmente sem glúten é fabricado, embalado ou armazenado nos mesmos equipamentos ou ambientes que produtos que contêm o glúten.

Portanto, se você não pode ou não quer ingerir o glúten, cheque a embalagem do iogurte antes de levar o produto para casa para conferir se ele realmente é livre da substância ou não.

Atenção

As marcas, tipos e porções do iogurte não foram submetidas a análises para descobrirmos o seu teor de carboidratos por porção, simplesmente reproduzimos as informações disponibilizadas na internet. Ou seja, os dados servem mais como uma estimativa.

Como cada marca pode apresentar variações em seus valores nutricionais, sempre cheque a tabela nutricional na embalagem do iogurte que você deseja comprar para conferir qual é o seu teor de carboidratos.

 

 

Fonte: https://www.mundoboaforma.com.br/iogurte-tem-carboidrato-gluten-e-lactose-tipos-variacoes-e-dicas/#W5ysSluUuud6a4xQ.99

10 Alimentos Veganos ricos em proteínas

Uma dieta vegana pode estar relacionada a uma preocupação com o bem-estar e saúde geral, razões religiosas e também com a preservação dos animais. No entanto, uma preocupação comum entre pessoas que adotam esse estilo alimentar é que elas podem não obter proteína suficiente na dieta.

Academy of Nutrition and Dietetics (Academia de Nutrição e Dietética) afirmou em 2016 que uma dieta vegana pode sim fornecer todas as necessidades nutricionais, tanto para adultos quando para crianças. No entanto, é necessário um planejamento antecipado para garantir o consumo ideal de proteínas, cálcio, ferro e vitamina B12, comum nas dietas que contém alimentos de origem animal.

Para ajudar a planejar as suas refeições e garantir que os alimentos veganos ricos em proteínas estejam presentes, listaremos aqui as melhores opções para a sua dieta.

Importância da proteína para a saúde

A proteína é um macronutriente essencial para a nossa saúde. Por exemplo, o cabelo e as unhas são feitos principalmente de proteína, o corpo usa para construir e reparar tecidos e também para produzir enzimas, hormônios e outros produtos químicos corporais. Além disso, a proteína é fundamental para a construção de ossos, músculos, cartilagens, pele e sangue, o que significa que sem ela, as nossas funções vitais estariam comprometidas e não seriamos capazes de nos sustentar.

Alimentos veganos ricos em proteínas

Alguns alimentos veganos podem ser excelentes fontes de proteína e também de outros nutrientes, e na maioria das vezes contêm menos calorias do que os produtos de origem animal. Confira os melhores alimentos veganos e sua quantidade de proteínas por porção.

1. Tofu, tempeh e edamame

A soja é uma das fontes mais ricas de proteína vegetal e por esse motivo os seus produtos são uma escolha comum na dieta dos veganos. No entanto, a quantidade de proteína pode variar de acordo com a forma de preparar.

2. Seitan

Seitan é feito de glúten, a principal proteína do trigo e que pode ser encontrado também na cevada. Sua textura e aparência ficam muito semelhantes à carne quando cozida, por esse motivo é conhecido também como como carne de trigo ou de glúten.

3. Lentilhas

As lentilhas são saborosas, ótimas adições para saladas frescas e sopas e também uma ótima fonte de proteínas. As lentilhas também carregam boas quantidades de carboidratos complexos, que são digeridos lentamente, e de fibras, pois um copo de 240 ml atende aproximadamente 50% da quantidade diária recomendada.

 

4. Feijão e grão-de-bico

A maioria das variedades de feijão carrega quantidades elevadas de proteína por porção. O grão-de-bico é outra leguminosa que contém um alto teor de proteína.

5. Levedura nutricional

A levedura nutricional é uma cepa desativada da levedura Saccharomyces cerevisiae, e ela é encontrada como um pó de cor amarela ou em flocos. Seu sabor é semelhante ao do queijo, e por esse motivo muitas pessoas adicionam ao tofu, ao purê de batatas ou polvilham em cima de pratos de massa ou até mesmo como uma cobertura da pipoca.

6. Teff e espelta

Tanto a espelta quanto teff são alimentos veganos que fazem parte de uma categoria de grãos antigos, como o einkorn, cevada, sorgo e farro. A espelta é um tipo de trigo e sua composição contém glúten, o que significa que ele não é recomendado para portadores de doença celíaca ou sensibilidade ao glúten. Pessoas que sofrem com essa condição devem optar por consumir o teff, que é livre de glúten.

7. Semente de cânhamo

A semente de cânhamo provém da planta Cannabis sativa, que pertence à mesma família da planta de maconha. Embora exista um parentesco, a semente de cânhamo contém uma concentração irrelevante de THC (tetrahydrocannabinol), um composto que produz os efeitos da droga.

 

8. Sementes de chia

As sementes de chia são derivadas da planta Salvia hispanica e têm um gosto suave. Elas são capazes de absorver água e transformam-se em uma substância semelhante a um gel e isso permite que ela seja adicionada a diversas receitas, sem contar que esse efeito ajuda a “encher” e também a te deixar mais saciado.

9. Nozes e sementes

As nozes e sementes são excelentes alimentos veganos para o lanche entre as refeições e contribuem com fibras e gorduras saudáveis, ferro, cálcio, magnésio, selênio, fósforo, vitamina E e algumas vitaminas do complexo B. Além disso, elas também contêm antioxidantes, e outros compostos vegetais importantes para a saúde.

10. Aveia

A aveia é um alimento que faz parte do café da manhã de muitas pessoas. Seja polvilhada nas frutas ou até mesmo preparada como um mingau, a aveia é uma prática e saborosa maneira de adicionar proteína a qualquer dieta.

 

 

 

Fonte: https://www.mundoboaforma.com.br/16-alimentos-veganos-ricos-em-proteinas/#zMlC6rmvVbu6JiXw.99

 

Aveia: quais as propriedades e benefícios deste alimento?

A aveia é conhecida por ser fonte de nutrientes importantes para o nosso organismo funcionar apropriadamente como manganês, fósforo, cobre, ferro, selênio, magnésio, zinco e vitamina B1.

O alimento já foi associado a benefícios para a saúde do coração, para a saúde digestiva e para a saciedade do corpo, além de ter sido apontado como fonte de antioxidantes e capaz de contribuir com a diminuição da prisão de ventre.

A aveia pura não tem glúten, entretanto, chamamos a atenção para o risco de algumas marcas de aveia conterem o glúten por conta da chamada contaminação cruzada.

A maioria dos agricultores e processadores de alimentos que cultivam e lidam com a aveia também lidam com grãos com glúten como trigo, cevada e centeio. Usar o mesmo equipamento para a aveia e os grãos com glúten significa que uma pequena quantidade de glúten acaba “contaminando” sua aveia.

De acordo com informações da mestra em nutrição humana Adda Bjarnadottir, em seu artigo publicado, 66% do peso da aveia crua corresponde aos carboidratos.

Desses carboidratos da aveia, 85% correspondem ao amido, enquanto 11% são fibras, completou Bjarnadottir. Conforme outro artigo, tanto as fibras quanto o amido entram na categoria dos carboidratos complexos.

Em seu artigo, a mestra em nutrição humana também disse que o amido é o maior componente da aveia e é constituído por longas moléculas de glicose. “O amido da aveia é diferente do amido em outros grãos. Ele tem um teor de gorduras mais alto e uma viscosidade maior (habilidade de se ligar à água)”, detalhou Bjarnadottir.

Falando nas fibras, a maioria das fibras presentes na composição da aveia são solúveis, ainda que o alimento também possua fibras insolúveis. Conforme a mestra em nutrição humana, uma fibra que se destaca na aveia é a chamada beta glucana.

“As beta glucanas são únicas entre as fibras, já que elas podem formar um solução viscosa (parecida com um gel), em uma concentração relativamente baixa”, explicou Bjarnadottir

De acordo com ela, na aveia crua e integral, o teor de beta glucanas varia entre 2,3% a 8,5%, sendo que a maioria está presente no farelo do alimento.

“As beta glucanas são conhecidas por diminuir os níveis de colesterol e aumentar a excreção dos ácidos da bile. Também acredita-se que elas causam uma diminuição nos níveis de açúcar no sangue e nas taxas de insulina depois de uma refeição rica em carboidratos. O consumo diário de beta glucanas mostrou diminuir o colesterol, principalmente o LDL (o colesterol ruim) e, portanto, pode reduzir os riscos de doença no coração”.

Já vimos se a aveia tem glúten e conhecemos o teor de carboidratos e fibras que diferentes tipos e porções que o alimento pode apresentar. Mas e quanto à presença de proteínas na composição das fibras?

Bem, a aveia conta sim com proteínas em sua composição. Tanto que em artigo publicado, a mestra ciência alimentar e nutrição humana, Melodie Anne, afirmou que adicionar uma porção de aveia à dieta diária é uma forma de consumir um pouco mais de proteínas.

“Geralmente, quanto mais processadas forem as aveias, menos proteínas elas terão” destacou a mestra em ciência alimentar e nutrição humana.

 

Fonte:  https://www.mundoboaforma.com.br/aveia-tem-gluten-muito-carboidrato/#mUiABLS8l3DkBxBv.99

Entenda os benefícios medicinais do repolho!

Repolho custa pouco, dura muito e existe em todo lado. Na cura: limpa o sangue, melhora a digestão, umedece os intestinos e as vias respiratórias. Também embeleza a pele e cura feridas.

O consumo de repolho é uma das boas coisas que herdamos da cozinha europeia – repolho em salada, em conserva, em sopa, em tortas, em suco, enfim, repolho é bom de qualquer maneira e a nossa saúde agradecerá, sempre.

Repolho ajuda a eliminação de parasitas intestinais, desintoxica o fígado, o baço e até o pâncreas, limpa os intestinos e o cólon e, como acréscimo, a fermentação do repolho produz aquelas conhecidas boas bactérias que nós temos que preservar para uma saúde melhor.

Repolho é rico em vitaminas (C e E), cálcio e iodo, enxofre, fibras alimentares de ótima qualidade e muito mais. Confira tudo no próximo tópico.

Os Benefícios do Repolho

É um alimento muito nutritivo e funcional para nossa saúde, por conta de suas propriedades benéficas. Para se ter uma ideia essa verdura contém fibras, proteínas, vitaminas K, C, B6, A, E, ácido fólico, tiamina, riboflavina, ácido pantotênico, niacina, manganês, potássio, cálcio, ferro, fósforo, magnésio, sódio, cobre, potássio, selênio, zinco, sódio, cobre e antocianinas.

Tem ação probiótica

Devido ao efeito probiótico, o repolho promove a saúde e o bom funcionamento de todo o trato digestivo.

Combate o Alzheimer

Por conter vitamina K, um nutriente que protege os neurônios, o repolho contribui para a prevenção da doença de Alzheimer.

É anticancerígeno

O repolho possui capacidade antioxidante, devido à vitamina C, o manganês e as antocianinas, agentes oxidantes que protegem da ação dos radicais livres que podem provocar mutações no DNA das células do corpo, causando vários tipos de câncer.

Fortalece o sistema imunológico

Os repolhos, principalmente o do tipo roxo, é rico em vitamina C, ativando nossos anticorpos e, com isso, fortalecendo nossa imunidade.

Contribui para a manutenção da boa forma

Por ser pouco calórico e conter fibras que proporcionam saciedade, o repolho é uma boa alternativa para fazer parte do cardápio de dietas de emagrecimento.

Promove o bom funcionamento do coração

Por ser constituído de fibras, o repolho reduz o colesterol ruim ao estimular o fígado a retirá-lo do sangue para sintetização da bile, evitando assim o excesso de colesterol, uma das principais causas das doenças cardíacas.

O potássio contido no repolho, atua como vasodilatador, combatendo a hipertensão arterial.

 Melhora a saúde dos ossos

O cálcio e o fósforo, minerais contidos no repolho, são nutrientes importantes para a manutenção e saúde do sistema ósseo.

Outro mineral que faz parte do repolho, é o magnésio que estimula a calcitonina, hormônio responsável pela fixação do cálcio do sangue nos ossos, e pela conversão da vitamina D para absorção de cálcio pelo organismo.

Os benefícios proporcionados pelo repolho para a saúde óssea também são conferidos pela vitamina K, que atua em processos metabólicos e químicos que promovem a formação óssea.

Promove a beleza e a saúde da pele

Fonte de nutrientes antioxidantes, o repolho combate e retarda o aparecimento de rugas na pele, por impedir ação dos radicais livres, grandes causadores do envelhecimento precoce e degeneração celular.

 

Fonte: https://www.greenme.com.br/alimentar-se/alimentacao/4813-repolho-uso-medicinal

Abacate: propriedades e sua versatilidade na alimentação.

Os benefícios do abacate para a saúde incluem ajudar a hidratar a pele e os cabelos e melhorar a circulação sanguínea, por conter gorduras saudáveis como o ômega 3, que atua como antioxidante e melhora o controle do colesterol.

Além disso, o abacate também ajuda a melhorar o rendimento do treino por ser rico em energia e a prevenir doenças cardíacas e câncer, por ser rico em vitaminas e antioxidantes que fortalecem o sistema imunológico e previnem a formação de aterosclerose.

1. Para a pele

Os benefícios do abacate para a pele são principalmente combater estrias, rugas e celulite por ser rico em vitamina C, que ajuda na metabolização do colágeno, substância que dá firmeza à pele.

Além disso, essa fruta também tem antioxidantes que ajudam a proteger e a evitar o envelhecimento das células da pele, conferindo maior elasticidade e deixando a aparência mais bonita e saudável.

2. Na musculação

Quando consumido antes da atividade física, o abacate ajuda na hipertrofia muscular, pois fornece energia para o treino e contém proteínas que ajudam na recuperação do músculo.

Além disso, essa fruta também evita a fadiga muscular porque combate os radicais livres que surgem devido ao exercício intenso, provocando o envelhecimento das células e facilitando o aparecimento da dor.

3. Na gravidez

Por ser rico em ácido fólico, o abacate na gravidez é importante para prevenir doenças congênitas como problemas no sistema nervoso e espinha bífida, que é o mau fechamento da coluna vertebral do feto. Para obter esse benefício, esta fruta deve ser consumida principalmente antes de engravidar e durante o primeiro trimestre de gestação.

4. Para o cabelo

Quando utilizado em máscaras para o cabelo, o abacate aumenta a hidratação dos fios por ser rico em gorduras e vitaminas, tornando os cabelos mais brilhantes e macios. Veja um exemplo de receita de abacate para hidratar o cabelo.

5. Para emagrecer

Por ser rico em fibras, o abacate ajuda a dar a sensação de estômago cheio e diminuir o apetite, controlando a fome e o consumo excessivo de alimentos. Porém, por ser uma fruta muito calórica e que tem muita gordura, só pode ser consumida em pequenas quantidades nas dietas de emagrecimento.

 

Fonte: https://www.tuasaude.com/beneficios-do-abacate/

Chás que melhoram a celulite

Existem diversos tratamentos estéticos para celulite, mas cada vez mais são procurados e bem vistos os métodos naturais para controle e combate ao problema. Pensando nisso, listamos os melhores chás para celulite, além de instruções de como fazer e outras dicas para tratar e prevenir a celulite.

Celulite

A celulite resulta de um acúmulo de gordura, água ou toxina na pele. Muitas vezes, ela fica parecendo uma casca de laranja ou um queijo todo furado sobre a pele.

Mulheres em qualquer idade podem ter celulite – até mesmo as mulheres magras podem ter celulites em algumas partes do corpo.

A causa exata das celulites não é conhecida, mas os especialistas acreditam que ela pode ser causada por fatores como hábitos de dieta, de exercícios, alterações hormonais e envelhecimento natural do organismo.

1. Chá de Calêndula

Compostos antioxidantes são ótimos para lutar contra os radicais livres que causam danos às células epiteliais e que contribuem para problemas como a celulite. Quanto mais antioxidantes forem ingeridos através da dieta, melhor para a saúde.

O chá de calêndula deve ser feito com 2 colheres de sopa de flores frescas de calêndula para cada xícara de água fervente. Ferva a água e em seguida coloque a calêndula. Em seguida, desligue o fogo e deixe a bebida em infusão por pelo menos 5 minutos. Antes de ingerir, coe o chá.

2. Chá Branco

O chá branco ajuda a manter a camada superior da pele saudável, o que disfarça a gordura acumulada abaixo da derme. Suas propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias também fazem bem para a pele, fazendo com que as células adiposas irregulares fiquem aparentes, o que reduz a aparência da celulite.

Como fazer

Use 2 colheres de chá de chá branco para cada xícara de água. Aqueça a água e desligue o fogo assim que as primeiras bolhas começarem a surgir. Coloque então o chá branco e deixe a mistura em infusão por 5 minutos. Depois disso, é só coar e saborear o chá.

3. Chá de Urtiga

O chá de urtiga está entre os melhores chás para celulite porque ajuda a eliminar toxinas do corpo e auxilia também na perda de peso. Ele também apresenta propriedades anti-inflamatórias e uma série de nutrientes como o ferro que ajudam a melhorar a circulação do sangue.

Como fazer

Separe ao menos 5 folhas frescas de urtiga para cada litro de água. Ferva a água por aproximadamente 3 minutos e, em seguida, apague o fogo e adicione a urtiga. Deixe em infusão por 10 minutos e coe antes de consumir a bebida.

O chá deve ser tomado diariamente – preferencialmente pela manhã – por pelo menos 2 meses para começar a notar os resultados.

4. Chá de Ginkgo Biloba

O chá de ginkgo biloba é muito bom para melhorar a circulação sanguínea. Isso aumenta o fluxo de nutrientes, o que ajuda a preservar a saúde da pele, contribuindo também para a suavização das celulites.

Como fazer

Separe algumas folhas de ginkgo biloba de modo a preencher 2 colheres de chá e coloque-as em meio litro de água fervente. Deixe a bebida em infusão por alguns minutos, coe e pronto. É recomendado beber de 1 a 2 xícaras do chá por dia depois das refeições.

5. Chá de Dente de Leão

O chá de dente de leão é ótimo para diminuir a retenção de líquidos, melhorar a circulação sanguínea e ajudar a liberar as toxinas do organismo. Ele é capaz de estimular as funções de órgãos como os rins e o fígado para eliminação de toxinas e também é rico em vitaminas como a vitamina A, a vitamina B, a vitamina C e a vitamina D além de cafeína e taninos.

A presença desses componentes confere ao chá de dente de leão um efeito diurético que ajuda a limpar o organismo, o que também pode auxiliar na perda de peso e o coloca como um os importantes chás para celulite.

Como fazer

Para preparar esse chá, é preciso 1 colher de sopa de dente de leão (10 gramas) para cada xícara de água.

Misture o dente de leão em água fervente e deixe a bebida descansar por cerca de 15 a 20 minutos. É indicado consumir de 2 a 3 xícaras do chá por dia.

 

 

Fonte: https://www.mundoboaforma.com.br/12-melhores-chas-para-celulite-como-fazer-e-dicas/#vRWh9VJ3zf2RTd0j.99

Opções fáceis de lanche low carb

Para dar aquela forcinha para quem segue uma alimentação com baixo teor de carboidratos, traz no nosso artigo de hoje algumas opções de lanche low carb.

Entretanto, antes de chegarmos a eles, lembramos que é fundamental para qualquer pessoa seguir uma dieta low carb com o acompanhamento do médico e do nutricionista para evitar prejudicar a própria saúde.

Vamos conhecer então algumas opções de lanche low carb?

1. Abacate com torrada de centeio

Ingredientes:

  • ¼ de abacate;
  • 1 tomate cereja fatiado;
  • Um fio de azeite;
  • Sal marinho;
  • Uma pitada de Dill;
  • Pimenta do reino moida a gosto.

Nossa sugestão fica assim: amassar ¼ de abacate com os temperos (azeite, sal, dill e pimenta do reino). Passar em uma torradinha de centeio e colocar as fatias de tomate cereja por cima.

2. Iogurte com pepino

Ingredientes:

  • 100 gr de iogrte grego light;
  • Azeite a gosto;
  • Sal;
  • Suco de 1/2 limao;
  • 1 pepino em tiras (palitos).

A sugestão é combinar o iogurte grego com o suco de limao, sal e azeite. E molhar o pepino nessa pastinha. Será que a mistura fica saborosa? Só testando para saber!

3. Sanduíche de peito de peru com alface sem pão

A ideia aqui é pegar duas fatias de peito de peru defumado, rechear com uma folha média de alface picadinha e uma colher de sopa de mostarda e fazer um sanduíche enroladinho.

 

4. Mix de nozes, amêndoas e pistaches

A sugestão aqui é colocar 30 g de nozes sem casca, 15 g de amêndoas torradas e salgadas 15 g de pistache em um potinho para comer na hora em que a fome bater entre uma refeição principal e outra.

 

5. Tomate recheado com atum

Outra dica de lanche low carb é rechear um tomate – a gente sugere que seja uma unidade grande do alimento – com cerca de 90 g de atum enlatado e uma colher de sopa de creme de leite light.

 

Fonte:  https://www.mundoboaforma.com.br/11-opcoes-de-lanche-low-carb/#Ed13b5JwWXeR4B8w.99

Poderosos Alimentos Contra Queda de Cabelo

Perder cabelos é considerado um processo normal e é comum que exista uma queda de aproximadamente 80 fios por dia. No entanto, quando essa quantidade é muito maior, ou se os fios perdidos não crescem novamente, a condição precisa de atenção e cuidados.

Seguir uma dieta equilibrada, composta pelos melhores alimentos para evitar queda de cabelo, pode trazer resultados muito expressivos. Confira quais devem  estar presentes em seu cardápio:

 Verduras

Elas são consideradas bons alimentos para queda de cabelo porque contêm vitaminas A, C e ferro. Um estudo descobriu que as mulheres que sofrem com a queda de cabelo têm níveis significativamente mais baixos de ferro e vitamina D2, e que comer vegetais verdes, especialmente o espinafre, pode ajudar o corpo a receber doses importantes de ferro e vitamina C, que ajudará o corpo a absorver de forma mais eficiente o mineral.

Então, aposte em uma salada de espinafre com ovos cozidos que são carregados com vitamina D, para evitar a queda de cabelo.

Cenouras

Além de serem fáceis de encontrar e muito versáteis, as cenouras são ricas em betacaroteno, um nutriente que ajuda a prevenir a queda de cabelo. Outro ponto importante é a sua quantidade de vitamina A, que é capaz de melhorar a saúde do couro cabeludo e dos folículos pilosos, e de outros nutrientes e minerais, como vitaminas K, C, B6, B1, B3, B2, fibra, potássio e fósforo, que são cruciais para manter um cabelo forte e saudável.

Tomar um suco de cenoura todos os dias vai contribuir significativamente com a redução da queda de cabelo, mas se preferir, pode cozinhá-las e acrescentar na salada ou na sopa.

Batata doce

A batata é um dos alimentos contra queda de cabelo que devem ser inseridos na sua dieta. Sua composição é rica em cobre, ferro e proteínas que estimulam o crescimento do cabelo e mantêm a saúde do couro cabeludo. Elas também são repletas de betacaroteno e contêm potássio e magnésio, que agem como calmantes, diminuindo os níveis de estresse, o que consequentemente ajuda a prevenir a queda de cabelo.

Leguminosas

As leguminosas pertencem à base alimentar de muitas dietas, assim como as ervilhas, o grão-de-bico e o feijão. Sua contribuição para um cabelo mais saudável é muito relativa, e isso é possível porque esse tipo de alimento é rico em ácido fólico, fósforo e fibras, nutrientes que aumentam o suprimento de oxigênio para o couro cabeludo, estimulando o crescimento do cabelo.

Seu teor de proteínas também ajuda a construir células vitais para o crescimento do cabelo, pois nutre o couro cabeludo e os folículos capilares e melhora a sua saúde.

Nozes

As nozes podem ser consumidas nos lanches, entre as refeições e também podem ser adicionadas a saladas, sobremesas e pratos quentes. Elas são bons alimentos para queda de cabelo porque contêm ácidos graxos ômega-3, considerados importantes para cabelos saudáveis ​​e macios.

Em janeiro de 2015, o Journal of Cosmetic Dermatology publicou uma das pesquisas mais promissoras sobre a reversão da perda de cabelo feminina. Durante os estudos, os participantes receberam um suplemento nutricional contendo ácidos graxos essenciais ômega-3 e ômega-6 e antioxidantes por 6 meses.

Os resultados mostraram que após esse período, 90% dos participantes experimentaram uma redução na perda de cabelo, 86% relataram uma melhora no crescimento e 87% relataram cabelos mais grossos.

E os seus nutrientes não param por aí. Nozes também contêm zinco, ferro, selênio e vitaminas B1, B6 e B9, uma mistura capaz de estimular o crescimento do cabelo e reduzir significativamente a queda.

Além disso, o fato de serem ricas em biotina, vitamina E, proteína e magnésio pode fortalecer os folículos pilosos e manter a saúde do couro cabeludo.

Sementes de linhaça

Um dos componentes das sementes de linhaça são os ácidos graxos ômega-3. Eles são responsáveis por ajudar a nutrir o cabelo, para que ele não fique seco e escamoso, e diminuir a quebra através da melhora da elasticidade dos fios. Destacam-se também as suas propriedades anti-inflamatórias, que são capazes de proteger os folículos pilosos de danos severos, destacando-as como alimentos contra queda de cabelo.

Proteínas

O nosso cabelo é uma fibra de proteína, então para mantê-los saudáveis e para estimular o crescimento de novos fios é preciso consumir especialmente a fontes proteicas de boa qualidade. A proteína também é necessária para produzir queratina, um componente estrutural considerado essencial para o cabelo.

Uma boa escolha para suprir essas necessidades é o salmão. Ele demonstra ser capaz de aumentar a saúde do cabelo das mulheres graças aos seus ácidos graxos ômega-3 e a sua quantidade de vitaminas e minerais.

 Mel

Além de ser consumido, o mel pode ser aplicado diretamente no cabelo. Quando usado como um tratamento tópico, ele pode melhorar a queda de cabelo, e esse efeito foi percebido em um estudo envolvendo pessoas com dermatite seborreica.

Aqueles que sofriam com a descamação, coceira e perda de cabelo e aplicaram uma solução de 90% de mel e 10% de água no couro cabeludo todos os dias durante 4 semanas experimentaram uma melhora relevante na queda de cabelo no final do estudo.

Fonte: https://www.mundoboaforma.com.br/13-poderosos-alimentos-contra-queda-de-cabelo/#ZYw9JJ4spVDhiLM2.99

 

O poder do ovo no café da manhã

O alimento funciona ainda como fonte de diversos nutrientes importantes para o funcionamento do nosso organismo como vitamina A, vitamina B2, vitamina B6, vitamina B12, vitamina D, vitamina E, vitamina K, selênio, zinco, ferro e cobre.

Os ovos constituem também uma fonte de proteína completa e de alta qualidade por possuir os oito aminoácidos essenciais que o corpo não pode sintetizar e precisa obter por meio da dieta.

A mestra em nutrição humana Adda Bjarnadottir apresentou o ovo como um alimento dono de propriedades únicas que o tornam amigável ao processo de diminuição do peso. Bjarnadottir explicou que uma das vantagens dos ovos para o emagrecimento é que eles saciam, principalmente graças ao alto teor de proteínas que é encontrado na composição do alimento.

“Alimentos ricos em proteínas são conhecidos por reduzir o apetite e aumentar a saciedade, comparados a alimentos que contêm menos proteínas. Estudos têm mostrado repetidamente que refeições com ovo aumentam a saciedade e reduzem a ingestão de alimentos durante as refeições posteriores, comparando com outras refeições com o mesmo teor de calorias”, afirmou a mestra em nutrição humana.

Ela afirmou ainda que os ovos têm uma colocação alta no índice de saciedade, uma escala que avalia a eficiência dos alimentos para manter o corpo saciado e diminuir a ingestão de calorias mais tarde.

Ou seja, se auxilia em relação à saciedade, comer o ovo no café da manhã emagrece mesmo, pois ajuda a segurar o apetite até a próxima refeição – o almoço – e a não cair na tentação de beliscar guloseimas no intervalo entre uma refeição e outra, o que contribui com a perda de peso.

A mestra em nutrição humana mencionou outro estudo publicado no ano de 2010, similar ao de cima, porém realizado com homens por um pesquisador dos Estados Unidos e seus colegas, que também mostrou que um café da manhã com ovo diminuiu a ingestão de calorias pelas próximas 24 horas, em comparação com o que fez um café da manhã com bagel, além de ter provocado maior saciedade.

Bjarnadottir citou ainda uma pesquisa, feita por um cientista do Reino Unido ao lado de seus colegas, que comparou os efeitos de três tipos de café da manhã – ovos na torrada, cereal com leite mais torrada e croissant com suco de laranja – em 30 homens jovens, saudáveis e em forma.

“A refeição com ovo causou significativamente uma maior saciedade, menos fome e um desejo mais baixo de comer do que os outros dois cafés da manhã”, completou a mestra em nutrição humana.

Fonte: www.mundoboaforma.com.br/ovo-no-cafe-da-manha-emagrece

CONCORRA A KITS
EXCLUSIVOS VITA SOL

Cadastre seu e-mail e concorra!

Ao clicar em "assine" você concorda em
receber conteúdo da Vitasol em seu e-mail.